Municipios
PUBLICADO EM 29/12/2017 ÀS 23:02
Cestas nutricionais já beneficiam 25 mil pessoas em 102 municípios
Em Maceió, mais de 1.800 gestantes e nutrizes começaram a receber as cestas nutricionais no mês de novembro
Foto: Agência Alagoas
Da Agência Alagoas

O governador Renan Filho lançou, nesta sexta-feira (29), em Maceió, o Programa de Complementação Alimentar, que garante a distribuição de cestas básicas e nutricionais para gestantes e nutrizes em situação de vulnerabilidade no Estado, incluídas no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico).

Em Maceió, mais de 1.800 gestantes e nutrizes começaram a receber as cestas nutricionais no mês de novembro. De acordo com Renan Filho, com o lançamento na capital, ocorrido no restaurante popular Prato Cheio, no Benedito Bentes, o programa alcança os 102 municípios alagoanos, beneficiando, aproximadamente, 25 mil famílias todos os meses. O governador enumerou ainda os esforços do Estado para atender às famílias em situação de vulnerabilidade e insegurança alimentar.

“É muito importante ajudar quem mais precisa. Por isso, temos vários programas que garantem a segurança alimentar dessas famílias, como os programas do Leite, de Distribuição de Sementes e o Barriga Cheia. Aqui no Benedito Bentes, ao lado da UPA [Unidade de Pronto Atendimento], temos um grande plantio de milho, cujas sementes e a assistência técnica foram cedidas pelo Governo, e a comunidade organizou o plantio. Temos, também, o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que vai adquirir o alimento do pequeno agricultor e destiná-lo a escolas, creches, hospitais. Estamos fazendo 15 casas de sopa em Alagoas. Já tem uma em Campo Alegre e vamos iniciar a do Pilar. Isso vai garantir a distribuição de sopa para quem para mais precisa; além do programa de distribuição de cestas nutricionais para gestantes e nutrizes”, ressaltou Renan Filho.

Grávida de 8 meses do seu quarto filho, a dona de casa Josiane Feitosa da Silva, de 33 anos, conta que a cesta nutricional vai servir de reforço na sua alimentação durante os próximos meses, além de ajudar a reduzir as despesas de casa.

“O meu marido trabalha na usina Cachoeira do Meirim e assume todas as despesas. Com as cestas, a feira já não vai ser tão cara, porque não vamos precisar comprar muita coisa. Vai sobrar algum dinheiro para comprar remédios, fraldas e o que precisar. E eu também vou poder me alimentar melhor enquanto estiver amamentando, quando a gente precisa comer de três em três horas”, lembrou a gestante. Além das cestas nutricionais, por meio do Programa de Complementação Alimentar, as gestantes e nutrizes recebem também orientações nutricionais a partir de um cardápio elaborado no sentido de garantir o melhor aproveitamento dos 14 itens incluídos nas cestas, fundamentais para o combate à desnutrição dos recém-nascidos.

Para ter direito às cestas nutricionais, as gestantes e nutrizes devem estar inscritas no CadÚnico, o cadastro que controla o programa Bolsa Família, por exemplo, além de comprovarem o acompanhamento pré-natal e estarem com os cartões de vacinação em dia.

“Estamos atendendo as mulheres das comunidades mais carentes, somente as beneficiárias do programa Bolsa Família, que não são escolhidas pelo Governo do Estado, mas são identificadas pelo cadastro do Bolsa Família. Nesse tempo de inflação alta, com o gás de cozinha custando quase R$ 90, quando a gente distribui uma cesta nutricional, garantimos mais condições de alimentação para a mulher. Além disso, toda vez que gente inclui essas mulheres no cadastro de gestantes e nutrizes do Governo Federal, cada uma delas recebem um acréscimo de R$ 39 no benefício do Bolsa Família. Com o programa das cestas nutricionais, quase oito mil mulheres em Alagoas já tiveram esse acréscimo”, explicou o governador.

“Esse é um programa que estimula o pré-natal e a vacinação, de maneira que as crianças e as mães tenham um acompanhamento mais próximo. Então, eu vejo isso como uma ação inteligente, como algo socialmente muito responsável. É o Estado olhando para todas as vertentes: fazendo grandes investimentos para Alagoas crescer mais rápido, e olhando também para quem mais precisa. Porque, no fundo, o grande segredo é cuidar das pessoas. Um governo tem que trabalhar para todos. Mas, se não conseguir trabalhar para todos, todo o tempo, deve priorizar quem mais precisa. E as pessoas que estão aqui precisam bastante. A reunião desses programas de segurança alimentar garante ao alagoano o enfrentamento da crise com mais tranquilidade”, observou Renan Filho.

Durante a cerimônia no Benedito Bentes, 250 gestantes e nutrizes receberam as cestas nutricionais. Segundo a secretária executiva da Assistência e Desenvolvimento Social, Morgana Tavares, as equipes da Seades têm percorrido o Estado para entregar os alimentos.

“O nosso objetivo é diminuir a vulnerabilidade social e a insegurança alimentar, principalmente nesse momento de crise. As cestas nutricionais chegam em uma boa hora, levando alegria e alívio a essas famílias. Durante o lançamento nos outros 101 municípios fizemos a entrega referente a outubro e novembro, ou seja, as gestantes e nutrizes estão recebendo duas cestas. A partir de janeiro, vamos fazer a entrega referente a dezembro e janeiro”, explicou.

Também participaram da cerimônia no restaurante Prato Cheio, o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira; o deputado estadual Galba Novaes; os vereadores por Maceió Silvânio Barbosa e Sílvio Camelo, além de dezenas de lideranças comunitárias da capital alagoana.



Comentários
Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Todo Segundo ou de seus colaboradores.
Topo
© Copyright 2018 - Todo Segundo, O maior portal de notícias do Agreste e Sertão de Alagoas